40 questionáveis figurinos do cinema que roubaram a cena pelos piores motivos

Enquanto alguns figurinos do cinema são incríveis e, imediatamente, tornam-se famosos, outros, porém, são absurdos, inadequados e, por vezes, apenas bizarros. Você já tentou correr de salto alto ou fazer uma pose de batalha usando calças de látex? Pois é, estes 40 trajes são alguns dos piores da história de Hollywood – até agora, pelo menos.

40. Os maiôs vermelhos, “Baywatch: S.O.S. Malibu” (2017)

A única coisa que todos se lembram sobre a série de TV “S.O.S. Malibu” é como os personagens ficavam escandalosamente sexy com aquelas vermelhas roupas de banho… Ainda mais quando corriam em câmera lenta! Bem, isso foi intensificado na versão cinematográfica. “A essência de ‘S.O.S. Malibu’ é aquela atmosfera sexy”, disse o ator Zac Efron ao site NZ Herald em 2017. “Nesse filme, nós definitivamente levamos isso ao extremo”.

Pelo conteúdo ser considerado obsceno nos Estados Unidos, o filme até ganhou a classificação “R”, a qual equivale à classificação brasileira de não indicado para menores de 18 anos, deixando alguns fãs do programa original bem chateados. No entanto, Kelly Rohrbach, a atriz de “Baywatch” só tinha uma reclamação sobre seu maiô. “Ele realmente sobe”, relatou ela à revista GQ em 2017. “[A equipe de filmagem] usou cola e fita adesiva no meu bumbum para que o maiô não se tornasse fio dental”.

ADVERTISEMENT

39. A roupa de stripper de Natalie Portman, “Closer – Perto Demais” (2004)

Quando Natalie Portman interpretou uma stripper chamada Alice em “Closer – Perto Demais”, o público ficou chocado. O motivo não envolvia Portman ser conhecida por personagens mais íntegros, como em “Guerra nas Estrelas”. Também não tinha nada a ver com a roupa de boneca ou a peruca rosa que ela utilizava no filme. Não, a razão foi a nudez acidental durante uma cena particularmente reveladora.

Quando Natalie Portman interpretou uma stripper chamada Alice em “Closer – Perto Demais”, o público ficou chocado. O motivo não envolvia Portman ser conhecida por personagens mais íntegros, como em “Guerra nas Estrelas”. Também não tinha nada a ver com a roupa de boneca ou a peruca rosa que ela utilizava no filme. Não, a razão foi a nudez acidental durante uma cena particularmente reveladora.

ADVERTISEMENT

38. A armadura de samurai, “O Último Samurai” (2003)

Em 2003, Tom Cruise comentou sobre a exatidão histórica de “O Último Samurai” ao site Urban Cinefile. “Com a Revolução Industrial ocorrendo nos Estados Unidos, este foi um momento de transição no Japão”, disse ele. “[O povo japonês] sabe que iremos honrar a cultura deles e nos esforçaremos para explorá-la como ela de fato é”. Contudo, parece que esqueceram de verificar a armadura do samurai.

ADVERTISEMENT

Portanto, embora a armadura de Cruise pareça ótima, não é de modo algum o que um verdadeiro samurai usaria naquele período. Nem mesmo é o que um homem norte-americano utilizaria se fosse aceito pelos samurais. Afinal, o filme acontece em 1876 e este tipo de armadura é de dois séculos antes desse momento. Também não é possível justificar dizendo que era um antiga armadura, porque o material não teria durado todo esse tempo.

ADVERTISEMENT

37. O shortinho de Harley Quinn, “Esquadrão Suicida” (2016)

A personagem Harley Quinn estreou em “Batman: A Série Animada” vestindo um traje de bobo da corte. Porém, esse figurino não apareceu em nenhum lugar do filme “Esquadrão Suicida”, o qual foi lançado em 2016. Ao invés disso, a atriz Margot Robbie surgiu como um excêntrico símbolo sexual ao vestir um shortinho e blusas justas.

ADVERTISEMENT

Em 2016, Robbie contou ao The New York Times: “Como Margot, não, eu não gosto de usar isso. Estou comendo hambúrgueres na hora do almoço e depois tenho que ir lá fazer uma cena em que fico completamente molhada em uma camiseta branca. É grudento e constrangedor”. Ainda bem que o figurino mudou na segunda aparição dela como Harley em “Aves de Rapina”.

ADVERTISEMENT

36. O vestido rosa de Marilyn Monroe, “Os Homens Preferem as Loiras” (1953)

Apesar do vestido rosa de Marilyn Monroe ser bem bonito em “Os Homens Preferem as Loiras”, ele poderia ter sido um pouco mais ousado. A verdade é que o modelo do vestido foi alterado por conta de um escândalo, uma vez que originalmente Monroe usaria um figurino ainda mais audacioso para a época. Assim, tudo mudou quando notícias correram sobre algo que a estrela tentava esconder – que ela já havia posado nua

ADVERTISEMENT

O estúdio de cinema 20th Century Fox entrou em pânico. Não havia condições de Monroe usar um vestido mais ousado – não quando tal escândalo estava em todas as manchetes! Logo, o figurinista William Travilla precisou elaborar rapidamente outro traje e surgiu com esse vestido rosa sem alças. Embora seja mais modesto que o original, ele continua sendo considerado um dos figurinos mais sexy de Monroe.

ADVERTISEMENT

35. O figurino do Coisa, “Quarteto Fantástico” (2005)

Como o “Quarteto Fantástico” é um filme baseado nos quadrinhos, as expectativas eram altas e, de acordo com o público, foi decepcionante – os figurinos bem simples também não ajudaram. Aliás, para assumir o papel do adorável Coisa, Michael Chiklis passou por uma situação horrível. Dessa maneira, o traje afetou tanto o ator que ele precisou fazer terapia!

ADVERTISEMENT

Chiklis disse ao The New York Times em 2005: “Depois de colaram o traje em mim, por mais que me esforçasse, eu não conseguia tirá-lo sem ajuda… Eu não conseguia comer comida de verdade e vivia de bebidas proteicas durante toda a filmagem. Ir ao banheiro era horrível. Foi um pesadelo físico e psicológico”. Tudo isso por um figurino que ninguém realmente gostava…

ADVERTISEMENT

34. O vestido e o espartilho de Lily James, “Cinderela” (2015)

Quando Lily James apareceu caracterizada como Cinderela, as pessoas concentraram-se em apenas uma coisa: a fina cintura da atriz. Eles comentaram nas redes sociais que, caso aquilo fosse real, definitivamente, não era algo saudável. Então, quando o filme estava prestes a ser lançado, James falou acerca de sua roupa no programa E! News – e piorou tudo.

ADVERTISEMENT

James relatou que havia feito uma dieta líquida para entrar no vestido. “Se eu comesse alguma comida [enquanto usava o vestido], ela não era digerida direito”, disse ela ao E!. James acrescentou: “Acredito que é muito importante ser saudável, confiante e natural”. Entretanto, todo esse processo pareceu desagradável e levou as pessoas a questionarem exatamente qual mensagem a Disney desejava passar.

ADVERTISEMENT

33. A camiseta branca de Jacqueline Bisset, “O Fundo do Mar” (1977)

Todos lembram do filme “O Fundo do Mar” por apenas um motivo: a camiseta colada e branca de Jacqueline Bisset. Afinal, ela mostrou mais do que deveria ao mergulhar. O diretor Peter Yates gabava-se por ter se tornado rico somente devido àquela camiseta. Inclusive, foi ele que transformou Bisset em um grande símbolo sexual do cinema.

ADVERTISEMENT

Contudo, a própria Bisset não estava feliz em ser apenas a imagem de uma mulher sensual; uma pin-up. Em uma entrevista de 1982 com Roger Ebert, ela lamentou que as pessoas possuíssem “muitas concepções equivocadas” e revelou: “Eu gostaria de aproximar minha imagem pública da minha realidade”. Muitos anos depois, em 2018, a estrela disse ao New York Post que pensou que “iria morrer” ao ver o figurino na tela!

ADVERTISEMENT

32. As roupas de Frank-N-Furter, “The Rocky Horror Picture Show” (1975)

O figurino do personagem Frank-N-Furter, interpretado por Tim Curry, é um dos mais emblemáticos da história – ainda que “The Rocky Horror Picture Show” tenha sido polêmico e um fracasso de bilheteria. A propósito, demorou para o filme receber a admiração do público. Agora, no entanto, não há praticamente uma festa à fantasia de Halloween que aconteça sem a presença de um Frank-N-Furter.

ADVERTISEMENT

A figurinista Sue Blane é grata por criar estes trajes. Em 2011, ela contou ao site Blu-Ray.com: “Por sorte, Tim já havia atuado em um espartilho antes, então ele usou isso muito bem”. Também, Blane disse que ficou impressionada com as roupas de Frank-N-Furter ao vivo. Nada mal para um filme que foi proibido em alguns locais…

ADVERTISEMENT

31. O figurino de Cleopatra, “Cleopatra” (1917)

“Cleopatra” é um filme mudo de 1917 que foi praticamente perdido. Antes mesmo da cópia restante ser queimada em um incêndio, o filme já era considerado muito quente. Tudo isso porque Theda Bara, atriz de “Cleopatra”, utilizou algumas vestimentas bem ousadas e o Código Hays considerou o filme “obsceno”. Assim, parece que certas igrejas encontraram outras cópias do filme e as destruíram também.

ADVERTISEMENT

Uma das mais impressionantes e restantes imagens do filme expõe Bara em uma espécie de biquíni de metal com textura de couro de cobra. Isto seria chocante até nos dias de hoje! Aliás, a lista de cortes obrigatórios a serem feitos em “Cleopatra” ainda existe e nela há termos como “figurino censurável” e “parte de cima de cobra”.

ADVERTISEMENT

30. O traje do Demolidor, “Demolidor – O Homem sem Medo” (2003)

O figurino de couro vermelho de Ben Affleck em “Demolidor – O Homem sem Medo” não foi chocante por ousar demais. Só era ruim mesmo. A roupa parecia muito apertada para que alguém pudesse realmente lutar e, bem, carregava ali umas evidencias de sadomasoquismo. Enfim, essa foi a prova de que deixar os filmes parecidos com os quadrinhos nem sempre funciona – até Affleck não gostou.

ADVERTISEMENT

Em 2006, Affleck falou aos repórteres na premiere de “Hollywoodland”: “Ao interpretar um super-herói em ‘Demolidor’, eu já me preveni de atuar como qualquer outro super-herói no futuro. Usar aquela roupa foi uma humilhação para mim e algo que eu não gostaria de fazer tão cedo novamente”. Porém, ele acabou desempenhando o papel de Batman em 2016; vai entender.

ADVERTISEMENT

29. O vestido branco de Sharon Stone, “Instinto Selvagem” (1992)

Apesar do vestido de Sharon Stone em “Instinto Selvagem” ser atraente e modelar bem o corpo, é mais vergonhoso pelo que havia – no caso, faltava – embaixo dele. Pois é, em uma das cenas mais conhecidas da história recente do cinema, Stone descruza suas pernas e dá ao público um vislumbre do que está sob o vestido. Ou seja, nada.

ADVERTISEMENT

Entretanto, há muito tempo existe uma polêmica sobre essa cena. De acordo com Stone, ela não sabia que havia se exposto até ver o filme com o público – ao descobrir, parece que ela deu um tapa no diretor. Mas o cineasta Paul Verhoeven disse à Page Six que isso era “uma mentira descarada”. Seja qual for o caso, o figurino é tão icônico que em 2012 foi exposto no Museu Victoria & Albert de Londres.

ADVERTISEMENT

28. A roupa de Rebel Wilson, “A Escolha Perfeita 3” (2017)

Quando uma foto dos bastidores surgiu das filmagens de “A Escolha Perfeita 3”, alguns fãs se incomodaram. Em uma foto com três atrizes, duas delas usavam bonitas e listradas blusas de alça, contudo, a atriz plus size Rebel Wilson utilizava uma versão com mangas desse mesmo traje. Logo, as pessoas declararam descontentamento com essa imagem “preconceituosa” e enviaram mensagens de apoio a Wilson.

ADVERTISEMENT

Desse modo, o figurinista Salvador Perez tweetou uma resposta a essa discussão. Em março de 2017, ele disse: “Deixei cada atriz escolher as formas de sua vestimenta, a escolha foi delas. Rebel, Ester e Hana Mae queriam com mangas”. Ele acrescentou: “Para mim, trata-se de vestir mulheres como elas parecem e se sentem bem, seja qual for o tamanho delas”.

ADVERTISEMENT

27. O figurino do Superman, “Superman – O Retorno” (2006)

Os fãs não gostaram muito da roupa utilizada por Brandon Routh quando viram as fotos do Superman pela primeira vez. Alguns falaram que o “S” não estava certo, bem como a gola estava muito alta. Todavia, houve outro aspecto do traje que chamou a atenção deles: a virilha. Há um rumor já antigo de que o volume de Routh era tanto que precisava ser reduzido digitalmente.

ADVERTISEMENT

Antes do filme ser lançado, a figurinista Louise Mingenbach disse à revista Newsweek que tinha, de fato, problemas com essa parte do traje. “Era muito grande? Não era grande o suficiente? Era muito pontudo? Era muito arredondado? Criar formatos de coquilhas foi o trabalho de alguém por cerca de um mês”, comentou ela. De qualquer maneira, o diretor Bryan Singer confirmou que Routh não era tão volumoso a ponto de precisar de edição. Será que foi o próprio ator que deu início a esse boato?

ADVERTISEMENT

26. O vestido azul de Nefertari, “Os Dez Mandamentos” (1956)

“Os Dez Mandamentos” recebeu aclamação da crítica ao ser lançado, principalmente pelos lindos figurinos. Embora o vestido azul usado por Anne Baxter, para interpretar a Rainha Nefertari, fosse perfeito, ele estava longe de ser correto, historicamente falando. Afinal, aquele tom de azul não poderia ter sido criado em 1350 a.C..

ADVERTISEMENT

O público indaga-se ainda, inclusive, sobre o que exatamente Baxter estava vestindo debaixo de sua roupa, uma vez que, apesar da censura da época, o contorno dos seios da atriz pode ser visto em diversas cenas. Feito de propósito ou sem querer, isso garantiu que o traje fosse comentado até os dias de hoje.

ADVERTISEMENT

25. O traje do Duende Verde, “Homem-Aranha” (2002)

Os fãs ficaram entusiasmados quando o personagem Homem-Aranha saiu dos quadrinhos para ganhar vida nas telonas. Mas desanimaram, em seguida, ao ver as fotos do inimigo do Homem-Aranha, o Duende Verde. O talentoso Willem Dafoe ficou preso em um figurino de plástico verde que as pessoas criticaram por parecer do “Power Rangers”; cafona é pouco.

ADVERTISEMENT

Porém, Dafoe não só adorou o traje como também insistiu em usá-lo durante todas as cenas de luta, atuando sem a participação de um dublê. De todo modo, é até compreensível esse figurino, já que a versão em quadrinhos desse personagem, o qual possui touca e botas rosas, seria muito complicada de converter para o cinema.

ADVERTISEMENT

24. O vestido de baile de Bela, “A Bela e a Fera” (2017)

O vestido amarelo-ouro de Bela, da animação, é um dos vestidos de princesa mais famosos e amados da Disney. Assim, os fãs ficaram bem decepcionados quando a versão interpretada por Emma Watson se mostrou um pouco diferente, relatando que o traje era muito simples e pequeno.

ADVERTISEMENT

Contudo, muito trabalho foi investido nisso, tanto que a revista Glamour informou que gastaram 12 mil horas na criação desse figurino. Watson, por sua vez, disse que a vestimenta era “perfeita”. Ela esclareceu: “No final, decidimos que o mais importante era que o vestido dançasse lindamente. Queríamos que ele flutuasse, como se pudesse voar”.

ADVERTISEMENT

23. As roupas de Barbarella, “Barbarella” (1968)

 As roupas de Barbarella, “Barbarella” (1968)

Barbarella é uma bizarra obra sensual e espacial de moda; praticamente não tem outra forma de descrever esse filme. Logo, no total, são oito mudanças de figurino feitas pela atriz Jane Fonda, utilizando trajes que costumam conter mais plástico do que tecido. Aliás, os figurinos são todos incríveis – mas tem um em particular que é fantástico.

ADVERTISEMENT

A “roupa de balada” de Barbarella apresenta brechas na altura do estômago e do seio. Também, ela veste um biquíni de couro marrom na parte debaixo, o qual é usado sobre a meia-calça. Para finalizar o traje, ela utiliza uma capa estampada. Apesar do nome, não use nada disso em uma boate, porque é bem provável que você seja expulso.

ADVERTISEMENT

22. A calça de couro de Olivia Newton-John, “Grease – Nos Tempos da Brilhantina” (1978)

A calça da personagem Sandy, representada por Olivia Newton-John, em “Grease – Nos Tempos da Brilhantina” foi problematizada por várias razões. Primeiro, a roupa é complicada de vestir. “A calça tem um zíper quebrado e teve que ser costurada em meu corpo porque foi feita nos anos 50”, explicou Newton-John ao Reuters Television em 2019. O maior problema, na verdade, é o que os críticos insinuaram que a calça retratava.

ADVERTISEMENT

“Grease” foi considerado pelos críticos um filme anti-feminista. Isso porque, ao final, Sandy transformou-se inteiramente para Danny – papel este desempenhado por John Travolta -, o qual não se esforçou do mesmo modo por ela. Tirando isso, até que o traje todo preto é legal.

ADVERTISEMENT

21. O vestido branco de Marilyn Monroe, “O Pecado Mora ao Lado” (1954)

Poucos filmes possuem imagens tão icônicas quanto o vestido branco de Marilyn Monroe sendo levantado pela corrente de ar do metrô. A propósito, a história por trás desse momento em “O Pecado Mora ao Lado” não é lá tão boa. Enquanto a cena estava sendo filmada, Monroe teve que lidar com milhares de fãs os quais se aglomeraram ao redor dela para ter um vislumbre de sua roupa íntima.

ADVERTISEMENT

O pior foi a reação do marido de Monroe, Joe DiMaggio, à essa cena. Ele observou tudo o que estava ocorrendo e ficou extremamente furioso. Alguns alegam que, após Monroe ter finalizado as filmagens na saída de ar do metrô, ele a agrediu em seu quarto de hotel. Uma coisa é certa: o divórcio veio um mês depois.

ADVERTISEMENT

20. O traje de Raquel Welch, “Mil Séculos Antes de Cristo” (1966)

O felpudo figurino de Raquel Welch no filme “Mil Séculos Antes de Cristo” fez dela um símbolo sexual. Inclusive, a atriz não tinha muito o que fazer na tela além de, bem, ser bonita. Em uma crítica contemporânea, a revista Variety observou: “A Srta. Welch recebeu pouca oportunidade de se revelar como atriz, mas é certo que beleza ela tem”.

ADVERTISEMENT

Entretanto, Welch nunca quis realmente usar essa roupa, muito menos fazer tal filme. Apenas fez porque acreditou que quase ninguém veria. Ainda assim, parece que ela não descarta um retorno a esse figurino, já que, em 2020, a atriz revelou ao Sunday Post: “Não tenho certeza se voltarei a usar [o traje], mas nunca se sabe. Vai que um dia o roteiro de ‘Mil Séculos Antes de Cristo’ apareça em minha porta”.

ADVERTISEMENT

19. O figurino de Jane, série “Tarzan”

De 1932 a 1942, a bela Maureen O’Sullivan, mãe de Mia Farrow, interpretou a personagem Jane ao lado de Johnny Weissmuller, o qual desempenhava o papel de Tarzan. O traje dela era bastante ousado para a época, uma vez que o público não aprovava que uma atriz se vestisse com tão pouco – ainda que supostamente ela estivesse na selva.

ADVERTISEMENT

Com a morte de O’Sullivan em 1998, o jornal Chicago Tribune publicou uma citação da estrela a respeito da famosa roupa de Jane. “Foi um alvoroço enorme”, disse ela. “As cartas começaram a chegar. Somando-se a isso, milhares de mulheres opuseram-se ao meu traje. Naquele período, elas levavam essas coisas muito a sério”.

ADVERTISEMENT

18. A lingerie de Emma Frost, “X-Men: Primeira Classe” (2011)

O pessoal por trás de “X-Men: A Primeira Classe” decepcionou os fãs ao elaborar esse figurino para a versão cinematográfica de Emma Frost. Nos quadrinhos, a personagem veste roupas minúsculas e sexy o tempo todo. Portanto, o traje recebido pela atriz January Jones consistiu em um monte de lingerie, capas e casacos brancos.

ADVERTISEMENT

Por sorte, Jones gostou das excêntricas vestimentas de Emma Frost. Em 2011, ela contou à MTV: “Tenho trajes bem interessantes nesse filme. Não há nada como uma capa para fazer você se sentir realmente durona”. Os críticos de cinema, por outro lado, não ficaram impressionados com o figurino em questão nem com a atuação de Jones.

ADVERTISEMENT

17. O puro látex de Malin Akerman, “Watchmen – O Filme” (2009)

Embora a personagem de Malin Akerman em “Watchmen – O Filme” se chame Silk Spectre – e silk signifique seda -, ela usa apenas um brilhante collant de látex amarelo e preto. Aliás, não parece ser a roupa mais divertida para se vestir e muito menos lutar. Akerman parecia pensar o mesmo, dado que, em uma entrevista de 2009 à MTV, ela comentou: “O figurino foi definitivamente um enorme desafio”.

ADVERTISEMENT

Akerman prosseguiu: “[Meu traje] sem dúvida não é a coisa mais confortável de se vestir por 18 horas seguidas. É muito apertado e ainda tem os saltos, o espartilho e uma peruca. Quando dizem: ‘Levante-se e lute’, só penso: ‘Com licença, com esta roupa?’. A vestimenta absorve toda a temperatura do ambiente. Se estiver muito quente, vou estar fervendo. Se estiver muito frio, vou estar congelando”.

ADVERTISEMENT

16. A roupa da Mulher-Gato de Halle Berry, “Mulher-Gato” (2004)

Os críticos não só odiaram o filme “Mulher-Gato” de 2004 como também não gostaram do estranho traje de Halle Berry. O portal IGN declarou: “O figurino por si só não faz um filme ser ruim, embora com certeza ajude um pouco”. A Reno News & Review foi ainda mais longe, sugerindo que Berry deveria “queimar aquela maldita roupa para todos verem”.

ADVERTISEMENT

And while Berry didn’t quite go that far, she too hates the poorly judged flick. In 2005 she actually showed up in person to collect a Razzie award for her “Worst Actress” performance in the film and announced, “First of all, I want to thank Warner Bros. Thank you for putting me in a piece of s**t, god-awful movie!” Me-ow.

ADVERTISEMENT

15. O figurino digital de Ryan Reynolds, “Lanterna Verde” (2011)

O filme “Lanterna Verde” foi, infelizmente, um desastre em quase todos os aspectos. O fato de Ryan Reynolds não usar um traje tradicional também não ajudou. A verdade é que o figurino do Lanterna Verde foi todo gerado por computador e o at

ADVERTISEMENT

O traje do “Lanterna Verde” foi um fracasso tão grande que Reynolds acabou zombando dele na comédia “Deadpool”, a qual o ator interpreta o personagem principal. Em determinado momento, ele grita: “Por favor, não faça o traje ser verde… ou animado!” – uma clara referência ao que foi preparado para Reynolds usar no filme anterior.

ADVERTISEMENT

14. O traje da Mulher-Gato de Michelle Pfeiffer, “Batman: O Retorno” (1992)

A Mulher-Gato de Michelle Pfeiffer é considerada como uma das melhores representações dessa personagem. Mesmo vestindo uma roupa complicada, a estrela continuava a brilhar. Em 2017, Pfeiffer disse ao The Hollywood Reporter: “Foi o figurino mais desconfortável que eu já usei. Eles tinham que me encher de talco, me ajudar a entrar na roupa e depois selá-la a vácuo”.

ADVERTISEMENT

Pfeiffer continuou: “Eu tinha aquelas garras e sempre esbarrava nas coisas. A máscara esmagava meu rosto e me sufocava”. Então, quando o Good Morning America perguntou à atriz se ela tinha algum conselho para a mais recente Mulher-Gato, Zöe Kravitz, ela sugeriu: “Enquanto eles desenham o figurino, certifique-se que vão considerar como você irá ao banheiro”.

ADVERTISEMENT

13. As bandagens de Milla Jovovich, “O Quinto Elemento” (1997)

Os trajes do filme “O Quinto Elemento” foram criados pelo diretor Luc Besson e pelo estilista Jean-Paul Gaultier para parecerem de outro mundo. Por exemplo, Milla Jovovich, que representou a personagem Leeloo, utilizou uma vestimenta que aparentava ter sido feita toda de bandagens. Aliás, a atriz não ficou muito contente em relação a isso.

ADVERTISEMENT

Em uma entrevista à Entertainment Weekly em 1997, Jovovich disse que havia achado o figurino “um pouco embaraçoso”, acrescentando: “No mundo da moda, a maioria dos caras é gay e têm a educação de não reparar. Mas aqueles ingleses que trabalhavam no set de filmagem assoviavam e tudo mais”. Ela prosseguiu: “Meu personagem tem tudo a ver com o que está dentro. Não com as roupas dela”.

ADVERTISEMENT

12. O espartilho de Jennifer Garner, “Elektra” (2005)

Apesar de Elektra ter morrido em “Demolidor – O Homem sem Medo”, Jennifer Garner desempenhou pela segunda vez o papel da super-heroína e, dessa vez, como protagonista. A propósito, os produtores asseguraram que Elektra teria um figurino semelhante ao dos quadrinhos nesse filme e, para variar, não foi o caso.

ADVERTISEMENT

Em uma entrevista de 2005 à BBC, Garner discutiu acerca da roupa da Elektra e falou: “Eu sabia que os fãs de quadrinhos não estavam felizes com ela usando preto em ‘Demolidor’. Logo, era importante que ela estivesse vestindo vermelho”. Os envolvidos na confecção da roupa, contudo, deveriam estar menos concentrados com a cor e mais atentos ao fato de terem deixado com que o traje parecesse uma roupa íntima barata.

ADVERTISEMENT

11. Os saltos de Bryce Dallas Howard, “Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros” (2015)

Após o esperado “Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros” ter sido lançado, os fãs ficaram com uma dúvida – e não era nada relacionado aos dinossauros ou à ciência. Assim, os espectadores se questionaram sobre o motivo de Claire, interpretada por Bryce Dallas Howard, não ter tirado seus saltos durante todo o filme. Ainda que estivesse fugindo do perigo, em nenhum momento ela torceu o tornozelo ou machucou os pés.

ADVERTISEMENT

Howard, porém, não concordou com as críticas. Em 2015, ela disse ao Yahoo!: “De um ponto de vista lógico, eu não acho que [Claire] tiraria seus saltos… Estou mais preparada para correr quando tenho sapatos nos meus pés. Portanto, essa é a minha perspectiva. Acredito que Claire não carregaria sapatilhas com ela. Acho, na verdade, que ela é alguém que poderia correr uma maratona de salto alto”.

ADVERTISEMENT

10. O figurino da Viúva Negra, “Marvel’s The Avengers: Os Vingadores” (2012)

Pare e pense com carinho na situação dessas atrizes que representam super-heroínas, pois nem tudo são flores para elas. Durante a coletiva de imprensa de “Marvel’s The Avengers: Os Vingadores”, Scarlett Johansson contou ao Collider sobre sua vestimenta: “Está fazendo uns 800 graus em meu traje… e isso é um macacão, eu não tenho nada debaixo dele!”.

ADVERTISEMENT

Desde o início, inclusive, Johansson estava aterrorizada com sua roupa de Viúva Negra. Ao participar do Inside the Actors Studio em 2017, ela comentou sobre o figurino: “Quer dizer, quem quer entrar em algo assim? Você só pensa: ‘Ô Deus, sério? Não poderia ter, tipo, sei lá, alguma saia peplum ou algo parecido?'”.

ADVERTISEMENT

9. O biquíni dourado de Carrie Fisher, “Guerra nas Estrelas: O Retorno de Jedi” (1983)

Toda a franquia de “Guerra nas Estrelas” está repleta de figurinos incríveis, mas talvez nenhum seja tão famoso quanto o biquíni dourado de Carrie Fisher, a qual assumiu o papel de Princesa Leia, em “O Retorno de Jedi”. Entretanto, Fisher aceitou com receio o traje, revelando em um episódio de 2016 do programa de rádio Fresh Air que, quando George Lucas mostrou o item, “[ela] achou que ele estava brincando e isso a deixou muito apreensiva”.

ADVERTISEMENT

Contudo, teve um lado positivo. Fisher prosseguiu: “O que compensa [essa cena] é que eu posso matar [Jabba], o que foi bem divertido. Esmaguei o pescoço dele com aquela corrente. Eu realmente gostei dessa parte, porque detestei usar aquela roupa e ficar sentada ali, toda rígida. Mal podia esperar para matá-lo”.

ADVERTISEMENT

8. O látex roxo de Olivia Munn, “X-Men: Apocalipse” (2016)

Antes de fazer parte do elenco, Olivia Munn já era uma grande admiradora de sua personagem, a Psylocke, em “X-Men”. Aliás, a atriz tentou fazer da super-heroína mais do que o figurino representava. Em 2016, ela esclareceu ao Collider, “Só porque [Psylocke] está vestida assim, não significa que seja essa garota promíscua”.

ADVERTISEMENT

Para entrar no traje, Munn teve que esfregar lubrificante em si e, ainda assim, ela arrebentou o látex. De todo modo, quando o filme foi lançado, muitas críticas ocorreram devido à vestimenta dela. Apesar do figurino ter sido feito mais ou menos de acordo com os quadrinhos, ele foi considerado bobo e sexy demais.

ADVERTISEMENT

7. O traje do Batman, “Batman e Robin” (1997)

Tudo sobre “Batman e Robin” foi um desastre. Todavia, se o roteiro e as cenas engraçadas eram ruins, o figurino do Batman era, sem dúvida, ainda pior. Para começar, George Clooney não conseguia tirar a vestimenta com facilidade e, então, fazia xixi ali mesmo. Além disso, o traje apresentava algo que não era comum em roupas de super-heróis: mamilos.

ADVERTISEMENT

Logo, não é surpresa que os mamilos do Batman sejam até hoje ridicularizados. No entanto, o diretor Joel Schumacher defende sua decisão. Em 2005, para o documentário “Shadows of the Bat: The Cinematic Saga of the Dark Knight”, ele relatou: “O traje foi inspirado nos moldes das estátuas gregas, as quais possuem corpos perfeitos. Nunca me ocorreu deixar de colocar mamilos nos figurinos masculinos, porque eu não sabia que era uma parte tão polêmica do corpo”.

ADVERTISEMENT

6. O vestido rosa de Emma Watson, “Harry Potter e o Cálice de Fogo” (2005)

Emma Watson foi a atriz que interpretou a personagem Hermione e usou um vestido rosa durante as cenas do Baile de Inverno em “Harry Potter e o Cálice de Fogo”. Embora o traje usado fosse perfeitamente apropriado, os fãs da franquia não ficaram muito satisfeitos. Isso porque, no livro, o vestido do Baile de Inverno de Hermione é da acor azul lavanda. Alguns acharam até que essa versão rosa não teve nada a ver com a personagem.

ADVERTISEMENT

A figurinista dos filmes, por outro lado, pensava de maneira diferente. Em 2017, Jany Temime disse à Cosmopolitan: “[Hermione] era uma garota durona. Ela era uma garota [que só andava] com meninos. E agora ela aparece no Baile de Inverno e está de rosa. As pessoas a veem como uma menina – uma muito bonita, o que não acontecia antes”.

ADVERTISEMENT

5. A calça de David Bowie, “Labirinto – A Magia do Tempo” (1986)

Quando “Labirinto – A Magia do Tempo” foi lançado, uma teimosa dúvida fez-se presente: afinal, David Bowie estava usando uma coquilha no filme ou não? Após uma detalhada análise realizada por um blogueiro, parece que Bowie realmente tinha todo aquele volume.

ADVERTISEMENT

Apesar dos criadores de “Labirinto” terem ficado em uma situação constrangedora por deixar o tamanho de Bowie tão óbvio, eles não parecem ter se arrependido. Em uma entrevista de 2016 à Empire, o ilustrador Brian Froud referiu-se ao figurino do ícone musical como “calça depravada”, acrescentando: “De vez em quando eu paro e penso: ‘Meu Deus! Como fomos tão longe com isso?!'”.

ADVERTISEMENT

4. A armadura da guerreira amazona, “Liga da Justiça” (2017)

O traje amazônico em “Mulher-Maravilha” parecia ser agradável; o tipo de roupa que uma pessoa poderia realmente vestir para lutar. No entanto, quando as imagens das amazonas em “Liga da Justiça” foram divulgadas, os fãs ficaram consternados ao notar que os figurinos estavam bem menores.

ADVERTISEMENT

Alguns até consideraram sexista essa mudança de armadura. Jessica Chastain concordou, retweetando fotos as quais comparavam as armaduras de ambos os filmes e escrevendo: “Ei, homens, o que vocês usariam para lutar? Dica: não exponham seus órgãos vitais. Sinto falta de Patty Jenkins [a diretora de ‘Mulher-Maravilha’]”. Ainda assim, as atrizes as quais retrataram as amazonas falaram que não se importavam com os novos figurinos.

ADVERTISEMENT

3. O maiô de Sacha Baron Cohen, “Borat – O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América” (2006)

Nem todo figurino é literalmente um crime em alguns lugares, mas o maiô de Sacha Baron Cohen, o qual representou o personagem Borat, pode ser. Em 2017, seis homens tchecos foram presos por “vandalismo de menor grau” ao posarem com esses maiôs na capital do Cazaquistão. A propósito, o Cazaquistão, representado pelo fictício Borat, é bem real.

ADVERTISEMENT

Sacha Baron Cohen ofereceu-se para ajudar esses homens, escrevendo no Facebook: “Aos meus colegas tchecos que foram presos: envie-me seus dados e alguma prova de que foi você e eu pagarei sua multa”. De toda forma, como o povo do Cazaquistão tem uma mistura de sentimentos por Cohen, é bom você evitar usar um maiô para se divertir nesse país.

ADVERTISEMENT

2. O pequeno traje de Karen Gillan, “Jumanji: Bem-vindo à Selva” (2017)

Quando as primeiras fotos da sequência de “Jumanji” apareceram em 2016, as pessoas não ficaram nada contentes. Enquanto todos os atores – Dwayne Johnson, Kevin Hart e Jack Black – foram vistos com roupas adequadas à situação nas imagens, Karen Gillan usava um figurino muito pequeno para ela. Porém, ao notar o que estava ocorrendo, Gillan prometeu ao público que eles entenderiam depois.

ADVERTISEMENT

Acontece que os personagens vistos nas fotos são, na verdade, os personagens do videogame que os principais do filme se tornaram. Em 2017, Gillan disse ao Evening Standard: “Parece absurdo que a mulher esteja vestida desse modo e os homens estejam todos cobertos, mas é exatamente isso que desejávamos destacar nos jogos dos anos 90. Minha personagem foi feita para ser como a Lara Croft. Essa é a referência: essa fantasia masculina ridícula”.

ADVERTISEMENT

1. O figurino de Sean Connery, Zardoz (1974)

Depois de aposentar o elegante smoking de James Bond, Sean Connery decidiu tentar algo diferente – bem diferente. Então, ele assumiu o papel de Zed no bizarro filme de ficção científica “Zardoz” e o seu traje consistia só em um um pedaço de pano vermelho brilhante e botas que subiam até suas coxas.

ADVERTISEMENT

O curioso é que Connery aparentemente não se importou com a roupa. Em 2014, quando o site Vulture perguntou ao diretor John Boorman sobre esse figurino, ele contou que tinha apenas dito ao famoso ator mal-humorado: “Isto é o que você tem. Isto é o que você vai vestir”. Assim, nunca houve “nenhuma discussão” sobre isso.

ADVERTISEMENT
ADVERTISEMENT
ADVERTISEMENT